• publicado em 15.02.2012
  • Os riscos da conjuntivite
  • É preciso atenção para que não haja novo surto
  • A Vigilância Epidemiológica de Votuporanga alerta a população para os riscos da conjuntivite nesta época do ano, em que há grande concentração de pessoas em diferentes cidades e lugares durante os festejos de carnaval. Em 2011, neste mesmo período, foram contabilizados mais de 7,5 mil casos.  De acordo com a enfermeira responsável pela Vigilância Epidemiológica, Nayara Nasso Dutra até o momento a Secretaria de Saúde registra 104 casos de conjuntivite em Votuporanga; “ é importante que todos estejam alertas para prevenir a doença”- ressalta. “Existem algumas doenças que necessitam de atenção especial de cada um de nós e a conjuntivite é uma delas” – esclarece a enfermeira.  

    Prevenção

    - Se houver suspeita de conjuntivite, afastar-se de ambientes coletivos, por pelo menos 7 dias;

    - lavar com freqüência as mãos e o rosto com água e sabão, e em seguida fazer uso do álcool gel;

    - evitar coçar os olhos;

    - usar lenços e toalhas descartáveis e individuais;

    - utilizar travesseiros e roupas de cama individuais;

    - evitar o uso de objetos (lápis, copos) de outras pessoas;

    - evitar atividades de grupo enquanto secreção ocular estiver presente;

    - evitar freqüentar piscinas e uso de lentes de contato;

    - realizar limpeza com água, sabão e álcool 70% em superfícies que foram tocadas por pessoas com conjuntivite

    Conjuntivite

    Segundo a Vigilância Epidemiológica de Votuporanga, a conjuntivite caracteriza-se por olhos avermelhados, lacrimejamento, pálpebras inchadas e avermelhadas, secreção ocular e a sensação de areia nos olhos. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa principalmente por objetos contaminados (toalhas, travesseiros, lenços, lápis, copos, contato físico e etc. A infecção se espalha rapidamente em ambientes onde há aglomeração de pessoas e a falta de higienização de modo geral. Não existem vacinas contra essa infecção. A Vigilância Epidemiológica de Votuporanga conta com a população para que a doença não se espalhe