• publicado em 22.07.2011
  • Atividade industrial
  • Fica mais fraca no mês de junho
  • A CNI avalia que o segundo trimestre de 2011 mostra uma \"evidente queda\" na demanda por produtos industriais domésticos, impactando fortemente a indústria brasileira

     

    A produção industrial recuou em junho em relação a maio, conforme Sondagem Industrial divulgada nessa sexta-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em uma escala, na qual valores acima de 50 pontos significam crescimento e, abaixo disso, retração, o indicador de produção do mês passado registrou 48,1 pontos. Em maio, estava em 52 pontos e, em abril, em 47,6 pontos.

     

    A CNI avalia que o segundo trimestre de 2011 mostra uma "evidente queda" na demanda por produtos industriais domésticos, impactando fortemente a indústria brasileira. "A queda na atividade industrial é evidente e contrasta com o desempenho do varejo. O cenário segue negativo, apesar do efeito sazonal positivo do fim do ano: o acúmulo indesejado de estoques e a maior dificuldade no acesso ao crédito sinalizam um cenário desfavorável para os próximos meses", trouxe o documento da entidade.

    Em junho do ano passado, o nível de atividade marcou 51,8 pontos. "A atividade industrial está perdendo a força", resumiu o documento.

    Utilização da indústria. O Índice de Utilização da Capacidade Instalada (UCI) passou de 46,1 pontos em maio para 44,7 em junho, ficando ainda mais distante da linha divisória dos 50 pontos. A CNI revelou que o porcentual médio da utilização da capacidade instalada se manteve em 74% em junho, como estava em maio. A Sondagem foi realizada entre os dias 1 e 15 de julho com 1.692 empresas, das quais 915 pequenas, 535 médias e 242 de grande porte.

    Fonte: Estadão