• publicado em 04.07.2011
  • Dólar fecha em queda
  • Pelo quinto dia, para menor nível desde 1999
  • Moeda fechou a R$ 1,558 para venda.
    BC mudou metodologia de cálculo de taxa referência do mercado de câmbio.

    O dólar caiu ao menor nível desde 1999 em relação ao real nesta sexta-feira (1), seguindo o maior apetite dos investidores por risco no exterior e a expectativa de um aumento mais prolongado dos juros, no primeiro dia do novo cálculo da Ptax (taxa de referência do câmbio).

    O dólar à vista fechou a R$ 1,558 para venda, em baixa de 0,25%. Esta foi a quinta queda consecutiva da moeda, que recuou 2,87% na semana.

    Esse é o menor preço desde 19 de janeiro de 1999, quando a moeda também fechou a R$ 1,558. Naquele mês, o governo promoveu a maxidesvalorização do real em relação ao dólar.

    A Ptax, definida às 13h05, foi de R$ 1,5599 para venda.

    A partir desta sexta-feira, o Banco Central passou a adotar uma nova metodologia para calcular a taxa Ptax, que serve de referência para liquidação de diversas modalidades de contratos cabiais.

    Com base nas novas regras, o BC a partir desta sexta deixou de divulgar as cotações de fechamento interbancário de câmbio. Segundo a assessoria do BC, a partir de agora a Ptax será a única a taxa de fechamento que passará a ser divulgada pelo BC.

    Entenda a Ptax

    A Ptax, calculada pelo BC e usada como referência para contratos futuros e outros derivativos, passou a ser calculada como uma média aritmética de quatro consultas feitas pelo Banco Central (BC) entre 9h50 e 13h10 horas às instituições credenciadas para realizar operações de compra e venda de moeda estrangeira com o Banco Central do Brasil (dealers), conforme decisão do BC de setembro de 2010.

    Até quinta-feira, era uma média ponderada por volume de todas as operações de câmbio à vista e  só era divulgada no fim do pregão.

    Apesar da definição da Ptax na metade do dia, o mercado continuou funcionando normalmente durante a tarde, embora com volume reduzido. O próprio Banco Central atuou com um segundo leilão de compra de dólares às 15h28.

    Profissionais de mercado previam uma redução do volume, principalmente por causa de uma diminuição da liquidez no mercado de 'casado', em que as operações são combinadas com negócios no mercado futuro. Operadores ressaltaram, no entanto, que o feriado de segunda-feira nos Estados Unidos também contribuiu para enfraquecer os negócios durante a tarde.

    De acordo com o operador de uma das principais corretoras que opera 'casado', o volume nesse segmento foi de cerca de  US$ 1,3 bilhão, abaixo da média anterior de  US$ 2 bilhões.

    No mercado à vista, o volume registrado na clearing da BM&FBovespa era de US$ 1,9 bilhão, sendo que US$ 1,3 bilhão foi fechado antes das 13h.

    Fonte: G1