• publicado em 01.06.2011
  • Google tentou
  • Mas, sem sucesso, firmar parceria com Facebook
  • O Google confessou ter tentado, sem sucesso, formar uma parceria com o Facebook, como parte dos esforços para se adaptar às mudanças no cenário da tecnologia e manter seu crescimento.

    Eric Schmidt, presidente do conselho de administração do Google, disse na terça-feira (31) que o Facebook havia rejeitado suas tentativas de acordo, e reconheceu que não havia se esforçado o bastante para enfrentar a crescente ameaça do maior site de redes sociais do mundo, durante os anos em que foi presidente-executivo da companhia.

    "Três anos atrás, escrevi memorandos falando sobre esse problema em termos gerais. Sabia que precisava fazer alguma coisa, mas não consegui", disse Schmidt. "Um presidente-executivo precisa assumir a responsabilidade. Eu errei."

    Schmidt, que em abril concluiu seus dez anos como presidente-executivo do Google e transferiu o comando a Larry Page, 38, cofundador da empresa, fez os comentários durante a conferência D9, organizada pelo site AllThingsD.

    O Google, que teve receita bruta de US$ 29 bilhões no ano passado, é o maior serviço mundial de buscas. Mas suas operações com publicidade, a base dos negócios da companhia, estão sob ameaça de empresas mais jovens e em rápido crescimento, como Facebook e Groupon, enquanto o surgimento de novos equipamentos tecnológicos despertou rivalidade crescente também com a Apple.

    Durante uma entrevista de 90 minutos conduzida no palanque do evento, Schmidt discutiu o cenário cada vez mais competitivo do mercado e as crescentes pressões regulatórias e de defesa da privacidade que o Google vem sofrendo.

    Mas o executivo pareceu desconsiderar a gigante de software Microsoft, que "não vem propelindo a revolução do consumidor".

    Antigo membro do conselho da Apple, Schmidt admitiu que o relacionamento entre as duas empresas se tornou "difícil" quando o Google começou a desenvolver seu sistema operacional Android para celulares inteligentes, ainda que as companhias continuem parceiras em alguns negócios.

    O Google renovou recentemente o acordo com a Apple para fornecimento da tecnologia de mapas usada no iPhone.

    Fonte: Folha