• publicado em 06.05.2011
  • Brasil já exportou
  • US$ 17,3 milhões em móveis para os EUA
  • O volume de importações, por outro lado, já é quase de US$ 40 milhões

    Nos três primeiros meses de 2011 o Brasil já exportou US$ 17,3 milhões em artigos de mobiliário para os Estados Unidos, segundo dados fornecidos pela Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário (Abimóvel). O volume de negócio é 11,5% menor do que o registrado no mesmo período em 2010, quando o acumulado de exportações foi da ordem de US$ 19,5 milhões, indicando que as exportações para o país norte-americano vêm perdendo fôlego, ao menos no segmento de móveis.

    Por outro lado, a importação brasileira de móveis americanos vem crescendo: nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2011 o montante de importações no segmento foi de quase US$ 40 milhões. Em 2010, nos mesmos meses, o acumulado era de US$ 24 milhões, logo 2011 apresenta até o momento uma variação de 28,8% com relação ao ano passado.

    Na lista dos 100 principais produtos brasileiros exportados para os Estados Unidos, segundo relatório do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), consta o segmento de móveis de madeira para quartos de dormir, na 87ª posição neste ano. O volume de exportações dessa mercadoria específica foi da ordem de US$ 8,3 milhões nos três primeiros meses de 2011, enquanto que no mesmo período em 2010 o montante registrado foi de US$ 8,1 milhões.

    Em 2010 os EUA importaram em volume de negócios US$ 19,3 bilhões e exportaram US$ 27 bilhões para Brasil, o que indica a ainda indubitável importância das negociações entre ambas as nações.

    Nilson Maciel de Paula, economista e professor de Comércio Internacional da Universidade Federal do Paraná (UFPR) acredita que há um grande interesse dos EUA em recuperar e fortalecer as conexões comerciais com seu vizinho na América Latina. "Os EUA ainda são um parceiro comercial fundamental para o Brasil não apenas na área comercial, mas também no setor energético, por exemplo. A balança comercial entre os dois países tem um histórico de grande importância e isso deve permanecer por muito tempo, mesmo com a agressiva entrada do produto chinês em território nacional", explica de Paula.

    No começo desta semana o ministro Fernando Pimentel, do MDIC, anunciou que a nova meta de exportações brasileiras como um todo para 2011 é de US$ 245 bilhões, um valor 21% maior que o registrado em 2010, quando as exportações chegaram a US$ 201,9 bilhões. A meta anterior, divulgada no início deste ano, era de US$ 228 bilhões e foi reavaliada.

    Fonte: Emobile