• publicado em 25.04.2011
  • Custo de vida sobe em São Paulo
  • O custo de vida na cidade de São Paulo subiu 0,38% em março, ante uma variação de apenas 0,04% em fevereiro, conforme o IPV (Índice de Preços no Varejo), calculado pela Fecomércio-SP (a federação do comércio paulista). No primeiro trimestre, esse índice acumula uma taxa de 0,81%.

    Segundo a área econômica da entidade, a alta nos preços dos combustíveis puxou a variação do IPV nesse mês: os preços do segmento de combustíveis e lubrificantes subiram 2,96% em março. Somente o etanol (álcool combustível) ficou 11,7% mais caro, em média, nos postos consultados pelos pesquisadores da federação.

    Além do etanol, o álcool hidratado também ficou mais caro, o que repercutiu no preço da gasolina, que subiu 1,95% na comparação de março e fevereiro. Para completar o quadro, os preços dos lubrificantes aumentaram 0,29% no período.

    A Federação aponta a entressafra, junto com o aumento da produção de açúcar (vendido a preços mais altos no exterior) em detrimento do álcool, como explicações para o encarecimento do produto.

    Na ponta oposta, o preço das carnes compradas em açougues caíram 0,63%, em média, conforme a pesquisa da Fecomércio-SP, sendo que primeiro trimestre a queda acumulada é de 5,02%. Segundo os economistas da entidade, houve um "realinhamento" natural dos preços, após a forte alta vista no ano passado.

    A área econômica da Federação aponta que os preços do setor de vestuários e calçados, bem como os remédios, devem pressionar o custo de vida no município paulista nos próximos meses. No primeiro grupo, a chegada das coleções de outono e inverno deve encarecer os produtos em exposição nas lojas, enquanto no caso dos medicamentos, já o impacto do reajuste periódico de preços no setor (data base em março).

    Fonte: Folha