• publicado em 13.04.2011
  • 'Prévia do PIB', nível de atividade sobe
  • 1º bimestre, diz BC
  • O IBC-Br é um indicador criado para tentar antecipar o resultado do PIB.
    Em fevereiro, indicador subiu 3,7% contra o mesmo mês do ano anterior.

    O nível de atividade econômica do país cresceu pelo décimo mês consecutivo em fevereiro deste ano, quando avançou 0,32% na comparação com o mês anterior, segundo números divulgados nesta quarta-feira (13) pelo Banco Central. Já no primeiro bimestre de 2011, o crescimento foi de 4,17% e, em doze meses até fevereiro, a taxa de expansão foi de 6,83%, informou a autoridade monetária.

    Em fevereiro, o  Índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br), indicador que tenta antecipar o resultado do Produto Interno Bruto (PIB), somou 142,14 pontos, na comparação com 141,69 pontos em janeiro deste ano e 136,97 pontos em fevereiro do ano passado.

    Na comparação com fevereiro de 2010, o crescimento do IBC-Br foi de 3,77%, o que representa desaceleração em relação ao patamar de janeiro deste ano - quando foi registrada uma elevação de 4,7% contra o primeiro mês do ano passado.

    IBC-Br


    O IBC-Br é um indicador criado para tentar antecipar o resultado do PIB e ajudar a autoridade monetária na definição da taxa básica de juros (Selic). O Banco Central explicou que o IBC-Br "constitui uma medida antecedente da evolução da atividade econômica".

    Antes divulgado por estados, e por regiões, desde o início deste ano o indicador passou a ser calculado com abrangência nacional. O índice do BC incorpora estimativas para a agropecuária, da indústria e do setor de serviços, além dos impostos.

    "A estimativa do IBC-Br incorpora a produção estimada para os três setores da economia acrescida dos impostos sobre produtos, que são estimados a partir da evolução da oferta total (produção+importações)", explicou o Banco Central, por meio do relatório de inflação de março do ano passado.

    Definição dos juros


    O IBC-Br é uma das ferramentas utilizadas pelo Banco Central para definir a taxa básica de juros da economia brasileira. Atualmente, os juros básicos estão em 11,75% ao ano. A taxa foi elevada na reunião do Copom de janeiro em 0,5 ponto percentual, e, também em março, em igual proporção, para controlar as pressões inflacionárias. A previsão do mercado é de que os juros subam para até 12,25% ao ano na semana que vem.

    Para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), a previsão do mercado para 2011 está em 6,26%. Deste modo, a estimativa dos analistas ainda está acima da meta central de inflação de 4,5% para este ano, mas dentro do intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo (entre 2,5% e 6,5%). Para o PIB de 2011, a previsão dos analistas dos bancos é de uma expansão de 4%.

    Fonte: G1