• publicado em 21.02.2011
  • Inflação para 2011 e 2012
  • Mercado eleva de novo estimativa
  • Essa foi a 11ª semana em que a projeção de inflação para 2011 avança.
    Mercado também baixou para R$ 1,70 previsão para dólar no fim do ano.

    O mercado financeiro voltou a subir, na semana passada, a sua previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2011, que passou de 5,75% para 5,79%, informou nesta segunda-feira (21) o Banco Central, por meio do relatório de mercado, também conhecido como Focus - documento que é fruto de pesquisa com analistas de bancos.

    Essa foi a décima primeira semana seguida de aumento da estimativa de inflação para este ano. Para 2012, a estimativa do mercado para o IPCA avançou de de 4,70% para 4,78% na segunda semana consecutiva de elevação.

    No Brasil, vigora o sistema de metas, pelo qual o BC tem de calibrar os juros para atingir os objetivos pré-estabelecidos. Para 2011 e 2012, a meta central de inflação é de 4,5%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Deste modo, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) pode ficar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida.

    Deste modo, a previsão de inflação do mercado financeiro para este ano está bem acima da meta central estabelecida para o período, mas ainda se encontra dentro do intervalo de tolerância existente.

    Juros
    Para tentar impedir o crescimento da inflação, o Banco Central voltou a subir os juros no começo deste ano, quando a taxa básica da economia brasileira foi elevada de 10,75% para 11,25% ao ano. E a expectativa do mercado financeiro é de mais elevações no decorrer de 2011.

    Os economistas dos bancos mantiveram a previsão de que a taxa Selic avançará para 11,75% ao ano em março e de que terminará 2011 em 12,50% ao ano. Para o fim de 2012, a previsão do mercado para os juros básicos da economia permaneceu em 11,25% ao ano. Isso quer dizer que os analistas do mercado estimam queda dos juros no próximo ano.

    Crescimento econômico e câmbio


    O mercado financeiro manteve, na semana passada, a sua estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2011 em 4,5%. Para 2012, a previsão do mercado de crescimento da economia brasileira permaneceu inalterada também em 4,5%.

    Nesta edição do relatório Focus, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2011 recuou de R$ 1,72 para R$ 1,70 por dólar. Para o fechamento de 2012, a previsão do mercado financeiro para a taxa de câmbio permaneceu estável em R$ 1,80 por dólar.

    Balança comercial


    A projeção dos economistas do mercado financeiro para o superávit da balança comercial (exportações menos importações) em 2011 subiu de US$ 10 bilhões para US$ 11,45 bilhões na semana passada.

    Para 2012, o BC revelou nesta segunda-feira que a previsão dos economistas para o saldo da balança comercial caiu de US$ 7,35 bilhões para US$ 7,1 bilhões de superávit.

    No caso dos investimentos estrangeiros diretos, a expectativa do mercado para o ingresso de 2011 subiu de US$ 40 bilhões para US$ 42 bilhões. Para 2012, a projeção de entrada de investimentos no Brasil avançou de US$ 42,37 bilhões para US$ 42,69 bilhões.

    Fonte: G1