• publicado em 07.02.2011
  • Transporte e educação pressionam ICV
  • Que sobe para 1,28% em janeiro
  • A diferença é de 0,63 ponto percentual relação a dezembro, diz Dieese.
    O grupo Alimentação também registrou aumento, de 1,17%.

    A inflação medida pelo Índice do Custo de Vida (ICV) divulgada nesta segunda-feira (7) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) subiu em janeiro para 1,28%. A diferença é de 0,63 ponto percentual em relação a dezembro, quando a taxa ficou em 0,65%.

    De acordo com o Dieese, os grandes responsáveis pela inflação foram os grupos Transporte, com alta de 3,09%, devido ao aumento das tarifas, e Educação e Leitura, com elevação de 4,79%, por causa dos reajustes das mensalidades. Juntos, os dois grupos agravaram o cálculo do ICV do mês em 0,84 pontos percentuais.

    O grupo Alimentação também registrou aumento, de 1,17%, mas inferior ao registrado em dezembro, de 2,81%.

    Reajustes
    O aumento no grupo Transporte ocorreu principalmente no subgrupo coletivo, com alta de 7,78%. O motivo foi o reajuste nas tarifas do ônibus municipal, de 11,11%, e do táxi de 9,05% a partir da segunda quinzena do mês (a taxa total foi de 18,92%).

    Ainda dentro de Transportes, o subgrupo individual registrou elevação de 1%, resultado do reajuste nos preços dos combustíveis, de 1,27% (só no álcool, a alta foi de 4,17%).

    No grupo Educação e Leitura o aumento era esperado, de acordo com nota do Dieese, já que em janeiro as escolas sempre reveem as mensalidades, que se situam, neste ano, em torno de 6,07%.

    Os “vilões” dos subgrupos da Alimentação foram os produtos in natura e semielaborados, com alta de 0,85%, os produtos da indústria alimentícia, elevação de 1,08%, e alimentação fora do domicílio, com alta de 2,01%.

    Entre os produtos in natura e semielaborados, as taxas foram bem distintas. Hortaliças, por exemplo, tiveram alta de 30,74%, legumes de 15,48% e frutas, de 6,30%. Já os grãos e as carnes tiveram quedas, respectivamente, de 7,63% e 2,47%.

    Habitação e saúde


    Na Habitação, a alta de 0,23% foi resultado dos reajustes nos subgrupos locação, impostos e
    condomínio. A taxa de 0,28% do grupo Saúde deve-se à variação no subgrupo da assistência médica (0,35%), pois os medicamentos e produtos farmacêuticos (0,02%) não tiveram grandes mudanças de preços, disse o Dieese.

    Queda ante igual período de 2010


    A inflação de janeiro foi menor que a de igual período de 2010, quando ficou em 1,72%. De acordo com nota do Dieese, “a comparação desses meses revela que dos 10 grupos pesquisados, metade teve diminuição da taxa inflacionária e a outra metade registrou aumento.”

    Nos últimos 12 meses, de fevereiro de 2010 a janeiro de 2011, o ICV apresentou alta de
    6,46%, taxa inferior à do ano de 2010, que era de 6,91%.

    Fonte: G1