• publicado em 19.01.2011
  • Exportações gaúchas
  • Crescem 5,5% em 2010
  • Custo de insumos e aumento da taxa cambial são responsáveis pela queda de exportações

    As exportações brasileiras de móveis cresceram 11,6% em 2010. Os dados foram divulgados pela Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs) e pelo Centro Gestor de Inovação Moveleiro. O aumento foi inferior às previsões feitas pela Movergs no primeiro semestre de 2010 que apontavam alta de 19%.

    Com faturamento de 210,8 milhões de dólares, em 2010, as exportações gaúchas de móveis ainda não voltaram ao patamar de 2008, de 289 milhões de dólares. Em entrevista ao eMobile, o presidente da Movergs, Ivo Cansan, explica que a diminuição se atribui ao aumento da taxa cambial e ao custo dos insumos que cresceram mais que a inflação. "O Rio Grande do Sul tem um problema grande de logística que é muito maior que nos demais estados do País. Além disso os incentivos fiscais estaduais dos outros estados são muito mais vantajosos que os do nosso", diz Cansan.

    Os problemas continuam influenciando no custo final para os países importadores que não encontrando preços atrativos acabam optando pela troca de fornecedores de móveis. "Foi exatamente o que aconteceu com os Estados Unidos. Os americanos reduziram as exportações, em nível nacional em 10%. Os Países Baixos reduziram o volume de compras de móveis brasileiros em 21,2%. Esses países optaram por produtos chineses e do Leste Europeu e os países que optaram em comprar no País importaram de São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro", conta.

    A indústria gaúcha de móveis tem investido em diferenciais que agregam valor aos seus produtos. "Não temos condições de competir com produtos commodities. Buscamos agregar diferenciais aos nossos produtos para nos manter competitivos no mercado", explica Cansan.

    Sem condições de produzir móveis a preços baixos, as indústrias gaúchas resolveram agregar valor a seus produtos. Tal estratégia produz resultados curiosos. Apesar de ser a maior importadora de móveis brasileiros, a Argentina, que consome móveis populares, é menos relevante para as exportações gaúchas do que o Reino Unido. Outro mercado importante é o canadense: "O Canadá tem um nicho de mercado hoteleiro e compra daqui porque temos valor agregado", diz.

    Em 2011, a Movergs intensifica a atuação frente aos mercados da América Latina, Europa e África. "Vamos manter a rotina que adotamos em 2010 para retomar, a nível Brasil, os volumes de exportações que já tínhamos conquistado em anos anteriores".

     

    Fonte: Emobile