• publicado em 17.01.2011
  • Em baixa de 0,17%; dólar vale R$ 1,682
  • O mercado de câmbio doméstico negocia o dólar comercial por R$ 1,682 nas primeiras operações desta segunda-feira, o que representa um declínio de 0,17% sobre o fechamento da semana passada.

    O feriado nos EUA (Marthin Luther King) deve contribuir para esvaziar os negócios na praça brasileira, como tradicionalmente ocorre quando os mercados americanos (a principal referência dos investidores) se ausentam. A agenda econômica do dia também está pouco movimentada, com destaque para o IGP-10 (inflação), o boletim Focus (projeções do mercado) e a balança comercial.

    A partir de quarta-feira, no entanto, a agenda econômica ganha intensidade e importância. O Copom (Comitê de Política Monetária) volta a se reunir amanhã e quarta-feira para decidir a nova taxa básica de juros do país. As apostas do setor financeiro apontam para um ajuste dos atuais 10,75% para 11,25%, com mais acréscimos até o final do semestre, provavelmente superando a casa dos 12%.

    Na quinta-feira, o governo chinês deve divulgar uma bateria de indicadores com grande potencial para mexer com os mercados, entre eles o PIB (Produto Interno Bruto), a produção industrial e as vendas do setor varejista.

    Esses números tornam-se ainda mais importantes quando se lembra as iniciativas recentes de Pequim para resfriar a economia e conter a inflação. Na semana passada, o banco central chinês anunciou uma nova elevação do compulsório bancário, o que obriga os bancos a recolherem parte dos depósitos, numa medida clássica para conter a circulação de recursos na economia, e de modo a conter a alta dos preços.

    EMPRESAS

    Wells Fargo, Goldman Sachs, Google, Morgan Stanley e Bank of America são algumas das principais empresas que devem divulgar seus balanços do quarto trimestre ao longo desta semana.

    Fonte: Folha