• publicado em 22.12.2010
  • Brasil se posiciona em 14º lugar
  • Entre os países com maior carga tributária
  • País fica atrás de países europeus, altamente desenvolvidos, diz estudo do IBPT. Para o presidente da Abimóvel ainda há muito o que melhorar

    O Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) divulgou na última sexta-feira (17 de dezembro) o ranking dos países com maior carga tributária. O Brasil subiu quatro posições, alcançando o 14º lugar e a arrecadação de tributos no período de 2009 correspondeu a 34,5% do Produto Interno Bruto (PIB). Em 2008, o Brasil estava em 18º lugar com carga de 34,7%.

    A arrecadação, conhecida por "carga tributária", registrou forte queda em 2009 na maioria dos países. Um dos motivos listados pelo IBPT foi o declínio da atividade econômica e do corte de tributos em função da recessão que seguiu a crise economia mundial.

    Os países que mais tiveram baixa foram Chile (de 22,5% em 2008 para 18,2% em 2009), México (de 21% em 2008 para 17,5% em 2009) e Grécia (de 32,6% em 2008 para 29,4% em 2009).

    Em comparação com o ano anterior, poucos países registraram um aumento na carga tributária de 2009, diz o estudo. Entre eles estão Luxemburgo (de 35,5% em 2008 para 37,5% em 2009), Suíça (de 29,1% em 2008 para 30,3% em 2009) e Eslovênia (de 37,2% em 2008 para 37,9% em 2009).

    Para o presidente da Associação Brasileira da Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário (Abimóvel), José Luiz Diaz Fernandes, ainda há muito o que melhorar."Temos uma carga tributária gigantesca, principalmente no setor produtivo e industrial. Esse volume excessivo de impostos inviabiliza nossas exportações, principalmente neste momento onde vários países do primeiro mundo estão em recessão."

    Em entrevista ao eMobile, Fernandez destacou que o único alento que o setor teve, na história recente, foi a redução de IPI e a equalização de alíquotas. "O novo governo precisa investir de forma que a diminuição da carga tributária seja realmente uma realidade e o setor industrial e moveleiro cresça ainda mais. As especulações do retorno da CPMF desfavorecem praticamente todos os setores produtivos e aumenta ainda mais a carga tributária" disse.

    Impostos pagos em cinco meses

    Hoje, cada brasileiro precisa trabalhar quase 150 dias, o que corresponde a cinco meses do ano, somente para custear a cobrança de tributos por parte do governo, diz o IBPT. O estudo ainda chama atenção sobre os outros quase cinco meses onde o brasileiro precisa trabalhar para pagar, ao setor privado, serviços públicos essenciais que os governos deveriam pagar.

    Posição Brasil em Carga tributária
    1 Dinamarca -  48,2%
    2   Suécia - 46,4%
    3   Itália - 43,5%
    4   Bélgica - 43,2%
    5   Finlândia - 43,1%
    6   Áustria - 42,8%
    7   França - 41,9%
    8   Noruega - 41%
    9   Hungria - 39,1%
    10  Eslovênia - 37,9%
    11  Luxemburgo - 37,5%
    12  Alemanha - 37%
    13  República Tcheca - 34,8%
    14  Brasil - 34,5%

    Fonte: Emobile