• publicado em 22.10.2010
  • Juros do cheque especial
  • Têm leve alta em outubro, mostra Procon-SP
  • Os juros cobrados no cheque especial oferecido pelos bancos voltaram a subir em outubro, conforme aponta pesquisa da Fundação Procon-SP divulgada nesta sexta-feira (22). No mês, a taxa média cobrada pelas instituições financeiras analisadas pelo Procon ficou em 9,11% mensais. Em setembro, os juros médios haviam ficado em 9,10% ao mês - taxa 0,01 ponto percentual abaixo da apuração.

    Hoje, a taxa básica de juros, Selic, determinada pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central está mantida em 10,75% ao ano.

    Bancos

    Empréstimo pessoal (a.m)

    Cheque especial (a.m)

    Banco do Brasil

    5,28%

    7,95%

    Bradesco

    5,50%

    8,40%

    Caixa Econômica

    4,78%

    7,15%

    HSBC

    4,81%

    9,55%

    Itaú

    6,02%

    8,75%

    Safra

    5,40%

    12,30%

    Santander

    5,63%

    9,66%


    Fonte: Procon-SP

     De acordo com a Fundação, o HSBC foi o único banco que aumentou a taxa do cheque especial de 9,51% para 9,55% ao mês - um acréscimo de 0,04 ponto percentual.

    Quanto às taxas cobradas nos empréstimos pessoais, os juros médios foram mantidos em 5,35% ao mês. Nenhuma instituição financeira alterou suas taxas.

    Neste levantamento, feito em 15 de outubro, foram consultados Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander. Por meio de nota, o Procon-SP pondera que existe a possibilidade de variação da taxa do empréstimo pessoal em função do prazo do contrato. Nesse caso, foi estipulado o período de 12 meses.

    Na avaliação do Procon-SP, as taxas continuam altas e a contratação de empréstimos continua sendo uma operação arriscada, se não for bem planejada. "Estamos assistindo a uma expansão do crédito e a uma inadimplência controlada, no entanto, a parcela da renda do consumidor destinada ao pagamento de juros vem aumentando consideravelmente, fruto de financiamentos cada vez mais longos", afirmou a fundação, em nota. A orientação do órgão é que o consumidor tenha ainda mais cautela na hora de utilizar o rotativo do cartão de crédito.

     

    G1 – Portal de Notícias da Globo