• publicado em 13.09.2010
  • Alta no mercado
  • Mercado espera alta de quase 7,5% no PIB em 2010
  • Os economistas do mercado financeiro voltaram a elevar, na última semana, a sua estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2010, que passou de 7,34% para 7,42%. Se confirmada, será a maior expansão desde 1986 (7,49%). Para 2011, a estimativa do mercado de crescimento da economia brasileira foi mantida em 4,5%.

    A previsão do mercado financeiro para o PIB deste ano começou a subir, com mais intensidade, após o anúncio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de que o PIB do segundo trimestre deste ano avançou 1,2% na comparação com os três primeiros meses de 2010. No acumulado do primeiro semestre, o crescimento foi de 8,9%, o maior em 14 anos.

    Inflação
    A previsão do mercado financeiro para o IPCA deste ano recuou na semana passada de 5,07% para 4,97%. Para 2011, porém, subiu de 4,85% para 4,90%.

    No Brasil, vigora o sistema de metas de inflação, pelo qual o BC tem de calibrar os juros para atingir as metas pré-estabelecidas. Para 2010 e 2011, a meta central de inflação é de 4,5%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Deste modo, pode ficar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida.

    Deste modo, ambas as previsões estão acima da meta central de 4,5%, mas dentro do intervalo de tolerância de dois pontos percentuais estipulado pelo governo.

    Juros
    Em 2010, o mercado acredita que a taxa será mantida no atual patamar, de 10,75% ao ano, até o fim deste ano. Com a estimativa de inflação em alta em 2011,  entretanto, os analistas do mercado financeiro já esperam uma subida maior da taxa básica de juros para tentar conter a escalada dos preços.

    A previsão dos analistas é de que os juros subam para 11,75% ao ano até dezembro do próximo ano. A expectativa anterior era de que os juros chegassem a até 11,50% no fim de 2011. Deste modo, os economistas do mercado acreditam em uma elevação de um ponto percentual nos juros no decorrer do ano que vem.

    Taxa de câmbio
    Nesta edição do relatório Focus, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2010 recuou de R$ 1,79 para R$ 1,77 por dólar. Para o fechamento de 2011, a previsão dos analistas para a taxa de câmbio caiu de R$ 1,83 para R$ 1,81 por dólar.

    Balança comercial
    A projeção dos economistas do mercado financeiro para o superávit da balança comercial (exportações menos importações) em 2010 permaneceu em US$ 15 bilhões na semana passada.

    Para 2011, o BC revelou nesta segunda-feira que a previsão dos economistas para o saldo da balança comercial subiu de US$ 8,68 bilhões para US$ 9,56 bilhões de superávit.

    No caso dos investimentos estrangeiros diretos, a expectativa do mercado para o ingresso de 2010 foi mantida em US$ 30 bilhões. Para 2011, a projeção de entrada de investimentos no Brasil subiu de US$ 38 bilhões para US$ 38,2 bilhões.

     Do G1, em Brasília