• publicado em 25.08.2010
  • Desemprego cai para 12,4% em julho
  • Taxa de desemprego é referente a sete regiões metropolitanas do p
  • Taxa de desemprego recua para 12,9% em SP em junho, diz Dieese A taxa de desemprego nas regiões metropolitanas do país caiu para 12,4% em julho, conforme aponta pesquisa divulgada nesta quarta-feira (25) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). No mês anterior, a taxa havia ficado em 12,7% e, em julho de 2009, em 14,8%.

    No levantamento, são consideradas as regiões metropolitanas de Belo Horizonte (MG), Fortaleza (CE), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Salvador (BA) e São Paulo e o Distrito Federal.

    Região

    Junho 2010

       Julho 2010

    Distrito Federal

        14%

           13,7%

    Belo Horizonte

       8,5%

            8,3%

    Fortaleza

      10,6%

           10,2%

    Porto Alegre

       9,5%

            8,9%

    Recife

      17,6%

           17,2%

    Salvador

      16,7%

           16,9%

    São Paulo

      12,9%

           12,6%

    Fonte: Dieese

     

    A Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) mostra que o contingente de desempregados no conjunto das sete regiões onde a pesquisa é realizada foi estimado em 2,729 milhões de pessoas, 66 mil a menos do que no mês anterior.

    No período estudado, o nível de ocupação registrou variação de 0,3%. O crescimento foi observado em Recife (1,9%), Porto Alegre (1,1%) e no Distrito Federal (0,6%), porém, ficou estável em São Paulo, Belo Horizonte e Fortaleza. Em Salvador, o nível de ocupação diminuiu (0,6%).

    Por setores

    O nível ocupacional aumentou na construção civil (38 mil ocupações), na indústria (20 mil) e em serviços (37 mil ocupações) e diminuiu no conjunto outros setores (29 mil) e no comércio (17 mil).

    Renda

    De acordo com a pesquisa, o rendimento médio real dos ocupados cresceu 4,1% em Recife, passando a valer R$ 862. Em Fortaleza, subiu 3%, para R$ 830. Em Belo Horizonte, o rendimento médio aumentou 1,7%, indo para R$ 1.364, e, em Porto Alegre, a alta foi mais discreta, de 0,9%, fazendo com que os salários chegassem a R$ 1.294). Houve reduções em Salvador (1,3%, R$ 1.084) e no Distrito Federal (0,6%, R$ 1.901). Já em São Paulo, o rendimento ficou estável, em R$ 1.320.

    Do G1, em São Paulo