• publicado em 16.07.2010
  • Importação de mão de obra é record
  • Empresas procuram profissionais especializados fora do Brasil
  • Mão-de-obra

    Cerca de 11 mil estrangeiros vieram para o Brasil, diz Ministério do Trabalho.

    Mais da metade tem formação superior e pós-graduação.

     

    A economia brasileira segue firme apontando para o crescimento, mas não deixa de revelar os seus gargalos. O alerta soou forte: o país não consegue formar mão de obra. O jeito foi buscar gente lá fora.

     

    "Quanto mais está crescendo a economia brasileira, quanto mais estamos gerando emprego, mais estamos tendo dificuldade de encontrar uma mão de obra qualificada. O que facilita inclusive esses brasileiros que estão voltando e alguns estrangeiros que vem pra cá", avalia o ministro Carlos Lupi.

     

    As boas perspectivas para a nossa economia explicam porque essas pessoas estão vindo para o Brasil. Elas são altamente qualificadas: mais da metade tem formação superior e pós-graduação, segundo o Ministério do Trabalho.

     

    O diretor de informática Alejandro Guerrero é a prova disso. O espanhol deixou a Europa no fim do ano passado pra trabalhar no Brasil. E, acreditem, trocou a Suíça pelo Brasil.

     

    "Fiquei muito interessado com a situação econômica daqui, então eu achei que para minha carreira profissional o melhor seria ficar no Brasil", conta o diretor de Informática Alejandro Guerrero.

     

    Na mesma rota de Alejandro, vieram muitos estrangeiros. O número de profissionais de várias partes do mundo, que disputam uma vaga no Brasil, vem crescendo nos últimos anos. Até março de 2010, mais de 11 mil estrangeiros já desceram em solo brasileiro. Um número recorde para o período.

     

    Outro atrativo são os salários. O do gerente de Produto André Moreto aumentou 40% e o brasileiro voltou pra casa depois de trabalhar na França e no México.

     

    "O país está num momento em que a gente tem a oportunidade de deixar de ser um país em desenvolvimento pra ser um país desenvolvido. A gente sempre escutou que o país era o futuro e o futuro, aparentemente, está chegando", diz.

     

    Do G1, com informações do Jornal da Globo