• publicado em 14.01.2010
  • Madeira sobe mesmo com a isenção do IPI
  • Aumento dos preços de painéis é considerado uma ameaça à isenção
  • Por Ariane Pontes

     

    Mesmo depois de o governo zerar o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) ainda sim o preço da madeira subiu. Isso se deve ao fato de os fabricantes dos painéis para móveis (matéria – prima do setor) aumentarem os preços, em média 8,5 a mais desde o primeiro dia do ano, os painéis representam 60% do valor dos móveis populares no varejo. Segundo os fabricantes o reajuste foi feito para recuperar as perdas de 2009, quando a crise econômica atrapalhou o mercado.

    Em 2009, o setor foi abalado pela crise internacional que provocou uma queda nas exportações. No mercado interno a redução do IPI na linha branca (fogões, geladeiras e máquinas de lavar) acelerou a venda destes produtos. Colocando os móveis em segundo plano para o consumidor. Enquanto a linha branca teve aumento nas vendas de 25%, o comércio de moveis caiu até 10% mensais, entre maio e outubro, auge da crise no setor. Como forma de compensar as perdas do setor moveleiro, o Ministério da Fazenda determinou no fim de novembro a alíquota zero para os produtos.

    A medida do governo vale até 31 de março. A expectativa antes do aumento das fábricas de moveis era recuperar os prejuízos e aumentar as vendas em 5% mensais durante o período de isenção.

    A Abimóvel (Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário) pretende além de informar ao governo sobre os reajustes, pedir na próxima semana que o Imposto de Importação das chapas seja reduzido.