• publicado em 30.12.2009
  • Financiamentos do BNDES
  • Divulgados ontem os números preliminares
  • Agência Brasil

    Os números preliminares, divulgados revelam que os recursos liberados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) atingiram o recorde histórico de R$ 137,3 bilhões este ano, com aumento de 49% em relação aos desembolsos de R$ 92,2 bilhões registrados em 2008. “É um desempenho memorável e extraordinário”, comemorou o presidente do BNDES, Luciano Coutinho.

    Coutinho destacou que os números contabilizam as operações que serão realizadas até o dia (30) e, por isso, poderão sofrer ajustes, mas que “serão de pequena monta”. Ele considerou o ano de 2009 atípico em razão da crise internacional e atribuiu o desempenho recorde ao esforço especial do banco de ofertar capital de giro às empresas brasileiras para suprir falhas geradas pela crise externa, que retraiu o mercado privado de crédito.

    “No segundo semestre, principalmente, nós impulsionamos muito o investimento por meio do Programa de Sustentação do Investimento (PSI). Felizmente, o sistema empresarial brasileiro reagiu à altura”, disse Coutinho.

    O PSI, lançado pelo governo em junho passado, contratou até o fim deste mês R$ 22,4 bilhões em operações de venda de máquinas, equipamentos, ônibus e caminhões, e teve sua vigência prorrogada pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva até o primeiro semestre de 2010.

    O presidente do BNDES disse ainda que os números divulgados hoje mostram que o período de recessão provocado pela crise financeira internacional no último trimestre de 2008 e no primeiro trimestre deste ano já foi superado no Brasil. “A economia já acelerou e acreditamos que neste quarto trimestre de 2009, a economia mostrará um crescimento firme”, afirmou.

    Somente para micro e pequenas empresas, os desembolsos do BNDES alcançaram R$ 16,52 bilhões, contra R$ 13,34 bilhões em 2008. A expansão foi de 23,8%. No último trimestre deste ano, as liberações somaram R$ 5,83 bilhões, com incremento de 45% ante igual período do ano anterior, já refletindo efeitos do PSI, apontou o presidente da instituição.

    Considerando os repasses de R$ 2,4 bilhões para operações de apoio a giro por bancos federais, o montante liberado pelo BNDES sobe para R$ 139,7 bilhões em 2009. Do total desembolsado, R$ 60,1 bilhões foram direcionados para a indústria, destacando o segmento químico e petroquímico, que recebeu R$ 21 bilhões.

    O aumento em comparação a 2008 foi de 54% para o setor industrial como um todo. A área de infraestrutura teve liberações de R$ 46,5 bilhões, com alta de 32% ante o ano anterior. Destaque para o setor de energia elétrica, cujos desembolsos atingiram R$ 11,1 bilhões.

    Coutinho externou a sua convicção de que o investimento, principalmente, voltará a liderar o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma dos bens e serviços produzidos no país, no próximo ano.