• publicado em 05.10.2009
  • Programa Piloto
  • Criado em 1997 tem como finalidade proporcionar a melhor segurança
  • saúde

    Criado em 1997 tem como finalidade proporcionar a melhor segurança e saúde para o trabalhador

    O Programa Piloto, um programa de segurança e medicina do trabalho, foi implantado na Associação Industrial/Sindicato do Mobiliário no início de 1997. No primeiro ano, ele contava apenas com os serviços profissionais de um técnico de segurança e um médico do trabalho.

    Hoje, a equipe é composta por uma fonoaudióloga, que realiza audiometria – exame que constata qual é a capacidade auditiva do funcionário; por um engenheiro de segurança, que elabora os laudos de insalubridade e periculosidade; um médico do trabalho, que é o responsável pela saúde ocupacional; uma técnica de segurança, responsável pela auditoria das empresas associadas e uma fisioterapeuta, que desenvolve os exames de espirometria (medição da capacidade respiratória dos pulmões).

    Com o passar dos anos foram criados programas para dar assistência necessária aos associados, como:

    PPRA – Programa de prevenção de riscos ambientais.
    PCMSO – Programa de controle médico de saúde ocupacional.
    CIPA – Comissão Interna de prevenção de acidentes.
    PPP – Perfil profissiográfico previdenciário, um formulário com campos a serem preenchidos com todas as informações relacionadas ao empregado.
    PCA – Programa de conservação auditiva, em função das perdas auditivas e controle de ruído.
    PCR – Programa de conservação respiratória, em função da poeira de madeira (pó de serra) das marcenarias; de gases e fumos provenientes dos serviços de solda; dos produtos químicos utilizados na pintura e na colagem.

    De acordo com a técnica de segurança do programa, Lussandra Zanardi, o objetivo é atender às exigências da Legislação. “A proposta era inédita. E, para que obtivesse êxito, deveria ser aplicada gradativamente e por etapas.

    Primeiro, a conscientização do empresário quanto à necessidade e importância do programa. Em seguida, o reconhecimento, antecipação e avaliação quantitativa e qualitativa dos riscos”, afirma.

    Para o presidente da Airvo/Sindimob, Sérgio Luiz Braga, a implantação do programa foi de acordo com as normas regulamentadoras do ministério do trabalho e da previdência social. “O objetivo é orientar e ajudar o empresário a cumprir a legislação de forma precisa”, finalizou.