• publicado em 05.11.2014
  • Luiza Trajano:2015 será o ano dos móveis
  • Varejo – 1 página

     

    Luiza Trajano: 2015 será o ano dos móveis

    Segundo a empresária, o que falta para o setor moveleiro é a união de forças

    Por Daniela Maccio, de Curitiba (PR)

     

    A presidente do Magazine Luiza e vice-presidente do Instituto de Desenvolvimento do Varejo (IDV), Luiza Helena Trajano, acredita que 2015 será o ano ideal para a venda de móveis. Em entrevista a revista Móveis de Valor, a empresária conta que 2014 foi um ano voltado à venda de TVs, por conta da Copa do Mundo. “As pessoas estão precisando trocar seus móveis. Já que este ano optaram por comprar televisores, deixaram a compra de móveis para depois”, explica. Luiza acrescenta que em 2016, as vendas de TVs voltam a crescer por causa das Olímpiadas e por isso, 2015 é ano para focar na venda de móveis.

    Segundo ela, o setor moveleiro precisa se unir da mesma forma como fez o varejo, com a criação do IDV. “O IDV representa os 13 mil pontos de vendas do País, os interesses de todos os integrantes do varejo brasileiro”, afirma. Com 40 associados atualmente, o instituto foi uma iniciativa de empresários e presidentes das maiores empresas do setor que, em 2004, criaram a entidade para fortalecer a representação de empresas varejistas de diferentes segmentos de atuação nacional.

    Durante evento em Curitiba (PR), dia 12 de setembro, Luiza apresentou dados importantes, que segundo ela, merecem a atenção dos empresários moveleiros. “Temos em nossa frente um mercado que ainda tem muito para crescer”. Segundo ela, a estimativa de construção de 23 milhões de casas nos próximos 10 anos sinaliza um mercado potencial para móveis. Além disso, as casas atuais também precisam de móveis e eletrodomésticos. “Só 54% dos brasileiros têm máquina de lavar. No Nordeste, este índice cai para 27%. Apenas 10% das casas brasileiras têm TV de tela plana e as pessoas estão precisando renovar seus móveis”, enfatiza.

    Luiza criticou a elevada carga tributária brasileira, fazendo referência aos 60 tributos existentes no País e ao excesso de burocracia que acompanha a arrecadação dos tributos. “É muito importante entender o momento do País. Nenhum governo vai fazer nada enquanto não houver uma reforma política e isso só será feito quando entendermos que o Brasil não é dos políticos. Só vai acontecer quando todos nós, de todas as áreas, resolvermos fazer. O governo somos nós. Eles têm que nos ouvir”, reflete.

    A empresária encerrou sua palestra convocando os industriais do setor moveleiro para uma parceria com o varejo. Para ela, este é o caminho para reduzir custos, buscar soluções inovadoras e reduzir o preço para o consumidor final, incrementando as vendas. “O varejo e a indústria têm que se unir. Vocês têm um mercado enorme a ser explorado e nós precisamos achar juntos este mercado”, propôs.

    Sobre o Magazine Luiza

    O Magazine Luiza é hoje uma das maiores redes de varejo do País e é também a companhia do setor que mais investe em inovação. A rede tem 736 lojas, presentes em 16 Estados, 24 mil colaboradores, oito centros de distribuição e receita de R$ 2,3 bilhões.

     

     

    Matéria publicada na revista Móveis de Valor, edição 141, outubro de 2014