• publicado em 29.08.2014
  • Megassimulação ajuda a treinar socorristas
  • Um ônibus com 20 passageiros avança o sinal de pare, atinge uma motocicleta que é jogada para baixo de um carro. O veículo descontrolado acerta um poste. O carro pega fogo com uma vítima nas ferragens e o motociclista morre com a força da batida. O motorista do ônibus é preso em flagrante por dirigir embriagado.
    Este acidente fictício “aconteceu” na noite de ontem, na avenida dos Bancários, em frente ao Centro de Convenções, em Votuporanga. Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Samu, Polícia Técnico-Científica e Polícia Civil foram chamados até o local, agentes de trânsito impediram a circulação nas ruas próximas e dezenas de pessoas acompanharam o trabalho dos profissionais.
    Essa cena, com direito a choro, barulho e fogo, como acontece em tantos acidentes reais, foi uma simulação que integra as atividades da 10ª Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Sipat) de Votuporanga. Toda a cena durou em torno de uma hora.
    De acordo com a presidente da comissão organizadora da Sipat, Kelly de Paiva, o objetivo da simulação é conscientizar a população sobre os riscos dos acidentes de trânsito. “A encenação de um acidente é a melhor maneira de chocar as pessoas sobre os riscos do trânsito”, disse Kelly.
    Cerca de 30 bombeiros participaram da encenação. Segundo o major Cléber Cochito, do Corpo de Bombeiros de Rio Preto, todo o procedimento utilizado na simulação foi o mesmo que seria empregado em um acidente real. “A única diferença é que sabíamos antecipadamente. Mas os procedimentos adotados são todos idênticos, inclusive com o uso de equipamentos de proteção individual”, explicou major.
    Sobre o tema de embriaguez ao volante, Cléber afirmou que principal objetivo da simulação é alertar para esse problema. “Na nossa experiência em atendimento de acidentes, no dia a dia vemos que motoristas embriagados ao volante são um dos principais causadores de acidentes de trânsito nas ruas do país atualmente.”
    O técnico em enfermagem, Willian Neves da Silva, de 29 anos, que acompanhou as palestras da Sipat, acredita que simulações como esta servem para mostrar à população como são essas cenas de fato. “Muitas pessoas não tem noção. Ficou bem realista o trabalho”, disse Willian, acompanhado da filha Vitória, de 7 anos. “Trouxe ela para ver como acidentes de trânsito são perigosos”, afirmou.
    Os dubles da simulação são estudantes do Colégio Comercial de Votuporanga. Gustavo Lima Ferreira, de 21 anos, faz o curso de segurança do trabalho e não pensou duas vezes em aceitar o convite.
    Eles se prepararam desde as 18h, na base do Corpo de Bombeiros, onde receberam a maquiagem que representava os ferimentos. “Achei interessante para conhecer o trabalho dos bombeiros de perto”, disse Ferreira.
    Edição
    Com o tema “10 anos de Prevenção”, a Sipat deste ano tem como objetivo orientar os alunos sobre o cumprimento da legislação e trabalhar a conscientização dos trabalhadores na importância da prevenção de acidentes no trabalho.
    Foram discutidos temas como DST/AIDS, motivação, relacionamentos interpessoais, atitude segura no trabalho e prevenção de acidentes de trânsito. O evento termina hoje, às 19h30, no Centro de Convenções. Participaram da Sipat trabalhadores da Prefeitura de Votuporanga, da indústria e do comércio.

    André Nonato
    andre.nonato@diariodaregiao.com.br