• publicado em 26.08.2014
  • O Projeto “Meu Novo Mundo”
  • Programa de inclusão social para pessoas com deficiência
  • O Projeto “Meu Novo Mundo”, é mais do que um programa de inclusão social para pessoas com deficiência. É um novo olhar para quem precisa de oportunidade, experiência e aprendizado de qualidade. A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), em conjunto com a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em São Paulo (SRTE-SP), viabiliza ações conjuntas para a inclusão profissional de pessoas com deficiência em indústrias, cuja matrizes estejam localizadas no Estado de São Paulo.

    O Programa abrange cursos de aprendizagem industrial oferecidos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), sendo atividades esportivas e de cidadania. Tudo isso em articulação com instituições que atuam no setor.

    O Projeto tem que se flexibilizar para que, as empresas possam cumprir a lei do aprendiz de outras maneiras. Para cada semana a Pessoa com Deficiência  tem 16 horas de atividades no SESI/SP e Senai/SP e quatro horas na empresa. Apenas podem ser contratados aprendizes a partir de 14 anos. O Programa de inclusão social que orienta e traz oportunidades para o Pessoa com Deficiência ingressar no mercado de trabalho de forma didática e gradativa. Ao participarem do projeto, consolidam a missão de resgatar a cidadania e incluir o Pessoa com Deficiência no mercado de trabalho, além de promover o desenvolvimento socioeconômico.

    Colaborar com as indústrias no cumprimento da contratação de Pessoa com Deficiência e promover o desenvolvimento social e profissional dos participantes.

    Envolvidos:

    Fiesp – A Fiesp faz a coordenação do projeto, a articulação institucional com os atores envolvidos, a mobilização das empresas e as parcerias com instituições.

    Instituições – As instituições vão indicar participantes para o programa e sensibilizar famílias sobre a importância da inclusão.

    Empresas – Fazem a contratação dos aprendizes com deficiência e prepara ambiente e equipes para a inclusão ao longo do programa.

    Órgãos públicos – Têm o papel de mapear possíveis participantes e políticas publicas de apoio ao projeto, como por exemplo, iniciativas que facilitem o transporte público.