• publicado em 05.06.2012
  • Prêmio Municípios que Fazem Render Mais
  • Prefeitos dos 16 municípios finalistas receberam troféus
  • As boas práticas de gestão de recursos públicos renderam a 16 municípios o reconhecimento do Prêmio Municípios que Fazem Render Mais. Dessas, sete receberam o troféu de destaque. O resultado foi anunciado na tarde desta segunda-feira (04/06), em cerimônia promovida pelos realizadores da iniciativa: a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp). O processo de avaliação foi conduzido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).
    Receberam reconhecimento os municípios de Aguaí, Guararema, Ilha Solteira, Monte Mor, Santo Antônio da Alegria e Sud Menucci (categoria até 50 mil habitantes); Araçatuba, Araraquara, Catanduva, Embu das Artes, Itapetininga, São Carlos, São João da Boa Vista e Taboão da Serra (com mais de 50 mil até 250 mil habitantes); e Santos e São José dos Campos (mais de 250 mil habitantes).
    Prefeitos, autoridades e representantes das cidades finalistas lotaram o Espaço Nobre da sede da Fiesp e do Ciesp para a entrega dos troféus e certificados de participação.
    Logo após a entrega dos troféus para os prefeitos das cidades que se destacaram, João Guilherme Sabino Ometto, vice-presidente da Fiesp, declarou que a correta administração pública requer eficiente aplicação de verbas, aproveitamento dos talentos humanos e envolvimento das pessoas nas ações de cidadania.
    “A boa gestão dos municípios, que é o principal objeto desta premiação, significa mais do que transparência na prestação de contas, é uma ação cidadã que demanda muito esforço dos prefeitos e dos servidores públicos”, afirmou Ometto.
    Paulo Francini, diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp, destacou a preocupação da entidade com o tema da gestão pública, ressaltando que a abrangência do gestor público é muito maior do que a do gestor privado. ”Até pela natureza dos seus acionistas, que são os cidadãos do município; portanto, não é fácil a tarefa do gestor público, que é fundamental para o desenvolvimento do país”.
    A Fiesp pretende ampliar a abrangência do prêmio para todo o país. O objetivo é contar com a colaboração de outras federações e entidades interessadas. 
      

     

    FONTE: Fiesp.com.br