• publicado em 29.03.2012
  • Linha branca: CNI defende desoneração
  • Presidente elogiou a prorrogação da desoneração do IPI
  • O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, elogiou na terça-feira, 27.03, a prorrogação da desoneração do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para a linha branca e sua ampliação aos segmentos de móveis e luminárias, mas defendeu a extensão da medida a toda a cadeia produtiva dos segmentos beneficiados.

    “A medida dá um fôlego aos setores, reduz custos e torna os produtos da linha branca mais competitivos diante dos similares importados, mas são necessárias iniciativas mais concretas. Gostaríamos que essas desonerações atingissem toda a cadeia produtiva da linha branca, como aço e plásticos, que não estão sendo beneficiados”, declarou Andrade.

    Para estimular o consumo e tentar reativar a produção da indústria, em declínio desde o ano passado, o governo decidiu prorrogar por três meses, até 20 de junho, a desoneração do IPI para fogões, geladeiras e máquinas de lavar, zerou o imposto para móveis (que era de 5%) e laminados (antes de 15%) e diminuiu de 15% para 5% o IPI das luminárias. Segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, a medida representará uma renúncia fiscal de R$ 489 milhões. Fonte: www.abimovel.com.br